Ogum – São Jorge;
Oxóssi/Oxoce – São Sebastião;
Xangô – São Jerônimo,São João Batista
Iemanjá – Nossa Senhora dos Navegantes;
Oxum – Nossa Senhora da Conceição;
Iansã/Oiá – Santa Bárbara;
Omolu/Omulu/Obaluaiê/Obaluaê – São Roque, São Lázaro;
Obá – Santa Rita de Cássia,Santa Joana d’Arc
Nanã – Sant’Anna;
Egunitá – Santa Sara Kali,
Oxalá – Divino Jesus Cristo, o Ser Cristalino

Umbanda

3 de maio de 2009

A Umbanda é uma religião 100% brasileira que sincretiza diversas religiões, como o catolicismo, o espiritismo, os cultos indígenas, e os cultos africanos, principalmente o candomblé.

Os fundamentos da Umbanda variam conforme a vertente que a pratique, como Umbanda de Caboclo, Quimbanda , Umbanda traçada, Umbanda Esotérica, Umbanda Iniciática e etc.

Existem alguns conceitos básicos que são encontrados na maioria das casas e assim podem, com certa ressalva e cuidado, ser generalizados para todas as formas de Umbanda. São eles:

- A existência de uma fonte criadora universal, um Deus supremo, chamado Olorum ou Zambi;
– A obediência aos ensinamentos básicos dos valores humanos, como: fraternidade, caridade e respeito ao próximo. Sendo a caridade uma máxima encontrada em todas as manifestações existentes;
– O culto aos Orixás como manifestações divinas, em que cada Orixá controla e se confunde com um elemento da natureza do planeta ou da própria personalidade humana, em suas necessidades e construções de vida e sobrevivência;
– A manifestação dos Guias para exercer o trabalho espiritual incorporado em seus médiuns ou “cavalos”;
– O mediunismo como forma de contato entre o mundo físico e o espiritual, manifesta de diferentes formas;
– Uma doutrina, uma regra, uma conduta moral e espiritual que é seguida em cada casa de forma variada e diferenciada, mas que existe para nortear os trabalhos de cada terreiro;
– A crença na imortalidade da alma;
– A Crença na reencarnação e nas leis cármicas;

Um Deus único e superior
Deus, em sua benevolência e em sua força emana de si e através dos Orixás e dos Guias (espíritos desencarnados) seu Amor, auxiliando os homens em sua caminhada para a elevação espiritual e intelectual.

Os Orixás
Na Umbanda os Orixás são energias, forças da natureza que estão presentes em todos os lugares, influenciando as pessoas e irradiando energias que mantém o equilíbrio natural dos elementos em relação ao universo.

Uma interpretação mais objetiva coloca os Orixás como energias emanadas da divindade, como subdivisões da unidade perfeita de Deus e não, como muitos pensam, como espíritos que progrediram muito espiritualmente, não necessitando mais do processo reencarnatório, e que para darem continuidade no seu progresso espiritual possuem como missão organizar e orientar uma rede de espíritos com menos progresso espiritual do que eles, ajudando-os a progredirem espiritualmente. Estes espíritos são, na verdade, os guias espirituais.

Cada pessoa está ligada a um desses Orixás e suas características são encontradas em seus filhos, seja na forma física ou, mais evidente, nas características psicológicas e comportamentais a qual a pessoa está relacionada.

Os elementos nos quais se manifestam os Orixás cultuados na Umbanda são:

Oxalá – Onipresente
Ogum – estradas e campinas
Oxóssi – nas matas
Xangô – pedreiras
Oxum – cachoeiras
Iansã – ventos e tempestades
Iemanjá – no mar
Obaluaê – na terra
Nanã – nas águas paradas e da lama dos fundos dos rios e lagos, além da água das chuvas.

A Umbanda prega a existência pacífica e o respeito ao ser humano, à natureza e a Deus. Respeitando todas as manifestações de fé, independentes da religião. Em decorrência de suas raízes, a Umbanda tem um caráter eminentemente pluralista, compreende a diversidade e valoriza a diferenças. Não há dogmas ou liturgia universalmente adotadas entre os praticantes, o que permite uma ampla liberdade de manifestação da crença e diversas formas válidas de culto.

A máxima dentro da Umbanda é “Dê de graça, o que de graça recebestes: com amor, humildade, caridade e fé”.